VISITANTES ON-LINE

Nós temos 16 visitantes online
I Encontro Nacional de Coordenadores do curso de Ciências Contábeis

logo coord

 

Cerca de 270 coordenadores do curso de Ciências Contábeis lotaram o auditório do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), nos dias 27 e 28 de julho, por ocasião do  Encontro Nacional de Coordenadores do Curso de Ciências Contábeis. Durante o encontro foram apresentados e debatidos temas que norteiam a educação superior no País, em especial, o papel do coordenador do curso na formação dos estudantes que serão os futuros profissionais contábeis, os quais devem ter uma formação apurada para a realidade brasileira e global, devendo a cada dia, ser incluídos como fator de proteção à sociedade. A platéia foi composta por 270 coordenadores inscritos.

Na solenidade de abertura, os participantes assistiram ao vídeo comemorativo do jubileu de diamante do Sistema CFC/CRCs, logo em seguida, à apresentação do coral Balanço das Vozes - composto por funcionários do CFC. A primeira palestra da noite foi com o Assessor do Secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Orlando Pilati, que falou sobre a importância da educação superior no País. A palestra magna teve como lema "O ensino superior no Brasil" e foi proferida pelo professor Gabriel Mário Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior.

A presidente do CFC, Maria Clara Cavalcante Bugarim, em seu discurso, disse que "o Encontro se impõe e enriquece por representar as mais importantes instituições de Ensino Superior do País". Ainda segundo a presidente, o "Encontro reuniu as condições favoráveis a uma profícua parceria entre as instituições de ensino e o Sistema CFC/CRCs".  Maria Clara foi incisiva ao afirmar que o futuro da contabilidade depende de uma política de ensino a ser praticada pelas instituições de Ensino Superior. "O sucesso dos seus profissionais no mercado de trabalho e, acima de tudo, a proteção à sociedade, passam pela formação das novas gerações, pelo compromisso delas com a preservação do patrimônio construído pelos mestres que nos antecederam", revela.

No encerramento dos trabalhos daquela noite, os coordenadores visitaram a exposição histórica alusiva aos 60 anos de Criação dos Conselhos Federal e Regionais de Contabilidade, montada na galeria de arte da sede do CFC, no 2º  andar.

A mesa na Solenidade de Abertura foi composta pela presidente do CFC, Contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim; o vice-presidente de Desenvolvimento Profissional, contador José Martonio Alves Coelho; o vice-presidente de Desenvolvimento Operacional, contador  Juarez Domingues Carneiro; o vice-presidente de Fiscalização, Ética e Disciplina, contador Enory Luiz Spinelli; o vice-presidente de Registro, contador Antonio Augusto de Sá Colares; o vice-presidente Técnico, contador Luiz Carlos Vaini; o vice-presidente de Controle Interno, contador Adeildo Osório de Oliveira; e a vice-presidente de Administração, contadora Silvia Mara leite Cavalcante.

No segundo dia do Encontro, os trabalhos foram iniciados com a palestra "As Diretrizes Curriculares a partir da Resolução CNE nº 10/2004 e suas interfaces com o perfil exigido do profissional da contabilidade", proferida pelo professor Clóvis Ioshike Beppu e coordenada pelo contador Nelson Zafra.

O professor Clóvis Ioshike Beppu usou como apoio para sua exposição "As Diretrizes Curriculares" a Resolução CNE nº 10/04, o Parecer CNE/CES nº 67/03 e o ofício da vice-presidência de Desenvolvimento Profissional do CFC nº 862/VIDEP-CFC, de 24 de março de 2005. O professor comentou que os últimos documentos do MEC que orientam a área educacional de Nível Superior, têm como norteamento a aproximação do perfil utilizado pela União Européia. Para Clóvis, o professor, hoje, precisa se preparar para o posto de cargo educador, pensando no que fazer e por que fazer e não mais no apenas como fazer. "Atualmente, a contabilidade brasileira é respeitada no mundo, tanto que contabilistas brasileiros são convidados e fazem parte dos maiores organismos internacionais que estudam e desenvolvem normas sobre o assunto" comentou.

A segunda palestra foi realizada pelo professor Oscar Lopes da Silva e coordenada pelo contador João de Oliveira e Silva. O tema foi "O desempenho do coordenador de curso na sua linha de trabalho para atender a Resolução CNE nº 10/2004". O professor opinou sobre o relacionamento que deve haver entre os coordenadores de cursos e seu quadro de professores. Disse, também, que devem ocorrer reuniões entre eles, para que os professores possam falar de suas dificuldades em sala de aula, sobre o plano de ensino, as avaliações dos alunos e o preenchimento do diário. Assim, poderá ocorrer a valorização do professor, e seu coordenador poderá trabalhar os pontos positivos com clareza.

A professora Ana Patrícia Rodrigues Cursino de Sena proferiu a palestra "Avaliação dos cursos de graduação em Ciências Contábeis: diretrizes e instrumento". O coordenador da mesa foi  o vice-presidente Operacional, contador Juarez Domingues Carneiro. A palestrante explicou as principais mudanças da antiga lei com a nova em vigor, comentando que a grande novidade é que a avaliação não mais será feita por meio de cheking list. Os pareceres analíticos finais dos avaliadores serão por meio dos coordenadores de curso ou pela pessoa indicada pela instituição de ensino. Hoje, conforme exposto na palestra, é preconizado no MEC o diálogo entre o avaliador e a instituição. "A avaliação é fundamental para a melhoria da qualidade de ensino", revelou.

O último palestrante foi o contador Olívio Koliver, cuja comunicação se intitulou: "Formação continuada do professor: uma orientação do coordenador na aplicação do plano de desenvolvimento institucional da IES". O professor José Joaquim Boarin foi o coordenador dos trabalhos. O palestrante comentou que o tema é muito amplo e inesgotável e que a formação continuada do professor é uma orientação do coordenador na aplicação do plano de desenvolvimento institucional da IES. Segundo Koliver, a premissa maior é que a formação dos contadores deverá propiciar atributos para um exercício profissional de alto nível por toda a vida.

Logo após, o professor José Joaquim Boarin comentou sobre a satisfação do auditório, composto na sua totalidade por 50% de participantes do sexo feminino. Observou, também, que para melhorar o perfil do profissional da contabilidade será necessário sensibilizar os coordenadores dos cursos de Ciências Contábeis. Na oportunidade, solicitou a colaboração de todos os coordenadores para incentivarem o cadastramento dos professores dos cursos de Ciências Contábeis de suas instituições de ensino, comentando que as informações são de extrema importância para todo o Sistema CFC/CRCs.

 

Palestras apresentadas!